quarta-feira, 13 de outubro de 2010

493 anos de Reforma Protestante


"..como está escrito: mas o justo viverá da fé..." (Rm.1.17)

No próximo dia 31 de outubro, fará 493 anos da Reforma Protestante.
Em 95 teses, Martinho Lutero, precursor da Reforma Protestante, fundamentou a doutrina da salvação pela fé, argumentando que, nem indulgências, nem sacrifícios poderiam sobrepor à graça do Evangelho, justiça de Deus de fé em fé.

Transcorridos quase meio milênio desde que o monge Alemão redescobriu a verdade, de parecer paulino, sobre a salvação como processo contínuo da fé, é preciso atentar ao fato de que o meio pelo qual se toma posse da salvação e das bençãos dela advindas é a fé no Evangelho do Senhor Jesus (Rm.1.16). Lamentavelmente, o cenário cristão protestante não tem sido aquele deixado por Lutero, pois, apesar de tudo, os amuletos e indulgências dos tempos modernos, insistem em permanecer.

Assim, muitas práticas que foram alvos de protestos luteranos, agora voltam pela porta da frente. Como reagiria o reformador protestante Martinho Lutero, se vivo, soubesse que a Igreja Luterana de hoje, coaduna, em tese, com as mesmas opiniões e até práticas vivenciadas pela Igreja Católica Romana, contra quem tanto combateu durante a reforma?

Vamos analisar a questão de forma mais abrangente. O que dizer de algumas práticas cristãs duvidosas, que querem a qualquer custo, vender a benção? rosas, sal grosso, azeite de Israel, água (quase) benta,e tantos outros amuletos, fazem parte deste mercado. Há igrejas que até ensinam que quem dá a oferta maior, receberá uma benção maior. Ora, não era isto que condenava Lutero? Isto, também, não seria modernas práticas de indulgências?

Diante disto, chego a uma conclusão. depois de quase 500 anos, o cristianismo protestante está precisando de uma nova reforma! Não precisamos de avivamento, precisamos de Reforma, cujo fundamento seja, de novo, o Evangelho:

“... Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.

Finalmente, se depender de mim, o cristianismo protestante terá futuro seguro. Ser evangélico pode estar na moda, mas, se as práticas cristãs, não estiverem fundamentadas no Cristianismo Protestante, o da Reforma, dificilmente a fé terá ibope!

Viva a Fé viva no Deus Vivo e isto basta!

Tenho dito, bendito!


Marizan di Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUEM LEU?