sexta-feira, 3 de maio de 2013

Plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro



Há um adágio popular que diz que todo homem deve plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro. Não necessariamente, nessa mesma ordem. Mas, isso tem muito sentido.

 Bem, é verdade que todo homem, carrega dentro de si o sonho de ser pai. Desde a infância, quando brinca com os coleguinhas, passando pela adolescência e juventude, este desejo é latente ao homem até à sua concretização. Não há dúvida, portanto, que está intrínseco à natureza do homem esse sentimento.

Mas, embora não tenha gerado, biologicamente,  nenhum filho, até o presente momento, mesmo assim, posso dizer que sei o que é ser  pai; sabe por que? porque já carreguei no colo filhos que gerei na alma, e isto, tanto no sentido literal quanto figurado.E, isso tudo me deu um prazer indiscutível. Ao longo desses anos abracei, carreguei no colo, discipulei e acompanhei  muitos desses filhos. Alguns desses filhos hoje já são pais, também, gerando outros filhos na fé.

No que se refere à plantar uma árvore,embora, não tenha nenhum quintal, nem terra alguma, a não ser debaixo das unhas e, isso só quando trabalho com as mãos na terra,o que é bem raro, desconfio que já tenha plantado algumas árvores...vez em quando a gente encontra um fruto!...

E o livro? cadê o livro? bem, se o adágio acima se refere a um livro mesmo, devo informar que já estou concluindo. Logo, poderei publicar um ou dois...depois, quem sabe mais alguns que estão sendo gerados no ventre dos sonhos. Mas, independente disso, eu  sigo escrevendo minha história, porque afinal, procuro conduzir minha vida como sendo um livro inspirado por Deus e de autoria exclusiva da Fé. Páginas e rascunhos não podem definir uma obra, nem tampouco, um texto sem contexto poderá servir de resenha para a vida, como um todo.

Tenho dito.


Marizan Di Carvalho

QUEM LEU?