terça-feira, 3 de maio de 2016

Fio Vida





A poesia é a arte que encanta todo dia!...
Ela não tem idade nem classificação.  E, sua recomendação é livre. Pode-se apreciá-la sem nenhuma moderação.

De janeiro à janeiro, não importa a data, nem as estações - a poesia faz florir, faz chover e faz brilhar o sol de um novo dia para aquecer o coração mais gelado!...
A Obra Fio de Vida é uma combinação de sentimentos e momentos. De choro e riso. Um encontro à parte. Uma festa  merecida!


Não importa a data ou o tempo - dia das mães, dos pais, dos filhos, dos amigos - dos que estão longe e dos que estão perto. Todo dia é dia de poesia. É dia de vida.
Para um novo começo - Fio de vida!...

Adquira já o seu exemplar  nas livrarias : Jerusalém Gospel, na Av. JK. Atrás da Loja do Boticário; Livrara Leitura, no Shopping  Capim Dourado - Palmas-TO, ou através do Wattssapp: (63) 9204 9162.





quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Natal de Jesus


Celebraremos o teu Natal                       
Oh! noite linda 
e sem igual!

oh! noite, linda noite
Oh, noite  santa...



Seja novembro
Seja dezembro
Seja janeiro 

ou fevereiro
O ano inteiro!...

Celebraremos o teu Natal
Oh! noite sem igual...

nasceu Jesus !
Do mundo a luz
do céu a estrela
Oh, luz perfeita
Nasceu Jesus!

(Marizan Di Carvalho - "Natal de Jesus" )

Então, é Natal!...


avenida Theotônio Segurado (Foto: Valério Zelaya/Ascom Palmas)

As ruas de tão enfeitadas, nem parece as mesmas. Há luzes e pisca-piscas por toda parte. Há um brilho diferenciado desde a mais simples até a mais sofisticada arquitetura das lojas e shoppings das cidades. Nas casas, as árvores de natal ganham espaço, novamente, no canto da sala.  

Papai-noel, chegou! E, com ele o tradicional saco vermelho, cheio de brinquedos - como acreditam as crianças. Pela imensidade de encomendas e o pouco tempo que resta, não é provável que tenha vindo de trenós...afinal, na era da velocidade, há infinidades de opções modernas  e pode ser que  o clima não favoreça a vinda, de trenós...

Então, é natal...

O mercado cresceu. A demanda aumentou. A lista de entrega, também. Há muito mais o que se distribuir agora e, de fato, de trenós, é mesmo inviável cumprir a tarefa. Mas, se mesmo assim, não resolver, o velho Noel, não terá que se preocupar com esse detalhe, pois, contará, nesse natal, com a prestativa comitiva do consumismo. Ela está bem aparelhada para qualquer eventualidade, desde que se combine o preço e parcele a conta. Qualquer coisa é só passar o cartão e dividir em até 12 vezes.

O natal chegou!...o presente já está sendo comprado e bem embrulhado. O pagamento...sei lá, a conta vem depois; Afinal, os valores do natal, já não são os mesmos. Era o tempo em que as  suas origens tinham como fonte, o coração do homem, cujo valor era a simplicidade e o amor...onde o principal foco era o nascimento de Cristo.

Mas, chegou o Natal! Período em que os homens tecem os seus discursos. Se demagogos ou não, não se sabe. Época ou véspera de se fazer o bem. Amar o próximo. Fazer caridade. Como se para práticas de obras tão sublimes, fosse conveniente estabelecer tempo ou época... fato é que o natal chegou!... 

Marizan Di Carvalho



O Jesus do natal e o Natal de Jesus

                  

...Não temais, pois, eis que vos nasceu hoje,  na cidade de Davi, o salvador do mundo”

O anúncio dos anjos aos pastores, foi o mais esperado e sublime: as boas novas de salvação. O que o profeta Isaías havia predito, pelo Espírito do Senhor, cerca de 700 a.C., agora, de fato, se cumprira. EMANUEL, habitava entre os homens.

Entretanto, as profecias e relatos bíblicos e históricos ao apontarem para o fato mais importante que marcou o início da era cristã, não foi capaz de fixar com exatidão a data do nascimento de Jesus, motivo pelo qual a Igreja primitiva celebrou esta tão importante data em dias e meses tão distintos,  tais como: 6 de janeiro, 25 ou 28 de março, 18 ou 19 de abril e 20 de maio.
A comemoração universal de 25 de dezembro se firma entre 325 a 354 d.C., aproximadamente.

Assim, apesar da data de 25 de dezembro, estar vinculada, de acordo com o calendário romano, com as festividades do Natal do Sol Invicto, e de sua história ter se misturado com a de  São Nicolau de Mira, fato é que JESUS NASCEU. Neste ou naquele tempo,nesta ou naquela data.

Portanto, para os cristãos e para as pessoas de todo o mundo, raças, tribos e nações, o fato mais importante que envolve o Natal  deve ser o nascimento de Jesus e não a data em que Ele nasceu ou qualquer outro entretenimento pagão e histórico. É preciso atentarmos, que mais importante do que o natal é o Jesus do natal.
Há uma coisa,  definitivamente, que nunca, nunca mesmo , poderá mudar o verdadeiro sentido do natal, seja ele em dezembro, maio, abril ou outubro,  é o fato de que o Salvador do mundo nasceu!...se no natal, celebra-se mais o fato de ganhar e receber presentes ou se as pessoas tradicionalmente, esperam o papai Noel, que elas, sobretudo, possam se conscientizar que o presente mais importante do natal é TER Jesus e doá-lo por meio dos valores e práticas diárias. 

Com efeito, a mensagem mais forte do natal não deve ser a de que papai Noel, um velhinho de barbas brancas e longas com um saco cheio de presentes para entregar para crianças boazinhas exista ou não. Mas, sim a de que Jesus, o salvador do mundo, nasceu, humildemente, em uma manjedoura.

Entretanto,em todos os tempos, Ele deseja fazer de cada coração a sua manjedoura. Ele está à porta e bate. Ele quer entrar em sua casa e cear contigo. Não importa em que data, de janeiro a janeiro,  ele deseja nascer em seu coração. Esse é o maior presente de natal.
Glória a Deus nas alturas. Paz na terra para como os homens de boa Vontade.

 Agnus Dei.
 Marizan di Carvalho

QUEM LEU?