quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Natal de Jesus


Celebraremos o teu Natal                       
Oh! noite linda 
e sem igual!

oh! noite, linda noite
Oh, noite  santa...



Seja novembro
Seja dezembro
Seja janeiro 

ou fevereiro
O ano inteiro!...

Celebraremos o teu Natal
Oh! noite sem igual...

nasceu Jesus !
Do mundo a luz
do céu a estrela
Oh, luz perfeita
Nasceu Jesus!

(Marizan Di Carvalho - "Natal de Jesus" )

Então, é Natal!...


avenida Theotônio Segurado (Foto: Valério Zelaya/Ascom Palmas)

As ruas de tão enfeitadas, nem parece as mesmas. Há luzes e pisca-piscas por toda parte. Há um brilho diferenciado desde a mais simples até a mais sofisticada arquitetura das lojas e shoppings das cidades. Nas casas, as árvores de natal ganham espaço, novamente, no canto da sala.  

Papai-noel, chegou! E, com ele o tradicional saco vermelho, cheio de brinquedos - como acreditam as crianças. Pela imensidade de encomendas e o pouco tempo que resta, não é provável que tenha vindo de trenós...afinal, na era da velocidade, há infinidades de opções modernas  e pode ser que  o clima não favoreça a vinda, de trenós...

Então, é natal...

O mercado cresceu. A demanda aumentou. A lista de entrega, também. Há muito mais o que se distribuir agora e, de fato, de trenós, é mesmo inviável cumprir a tarefa. Mas, se mesmo assim, não resolver, o velho Noel, não terá que se preocupar com esse detalhe, pois, contará, nesse natal, com a prestativa comitiva do consumismo. Ela está bem aparelhada para qualquer eventualidade, desde que se combine o preço e parcele a conta. Qualquer coisa é só passar o cartão e dividir em até 12 vezes.

O natal chegou!...o presente já está sendo comprado e bem embrulhado. O pagamento...sei lá, a conta vem depois; Afinal, os valores do natal, já não são os mesmos. Era o tempo em que as  suas origens tinham como fonte, o coração do homem, cujo valor era a simplicidade e o amor...onde o principal foco era o nascimento de Cristo.

Mas, chegou o Natal! Período em que os homens tecem os seus discursos. Se demagogos ou não, não se sabe. Época ou véspera de se fazer o bem. Amar o próximo. Fazer caridade. Como se para práticas de obras tão sublimes, fosse conveniente estabelecer tempo ou época... fato é que o natal chegou!... 

Marizan Di Carvalho



O Jesus do natal e o Natal de Jesus

                  

...Não temais, pois, eis que vos nasceu hoje,  na cidade de Davi, o salvador do mundo”

O anúncio dos anjos aos pastores, foi o mais esperado e sublime: as boas novas de salvação. O que o profeta Isaías havia predito, pelo Espírito do Senhor, cerca de 700 a.C., agora, de fato, se cumprira. EMANUEL, habitava entre os homens.

Entretanto, as profecias e relatos bíblicos e históricos ao apontarem para o fato mais importante que marcou o início da era cristã, não foi capaz de fixar com exatidão a data do nascimento de Jesus, motivo pelo qual a Igreja primitiva celebrou esta tão importante data em dias e meses tão distintos,  tais como: 6 de janeiro, 25 ou 28 de março, 18 ou 19 de abril e 20 de maio.
A comemoração universal de 25 de dezembro se firma entre 325 a 354 d.C., aproximadamente.

Assim, apesar da data de 25 de dezembro, estar vinculada, de acordo com o calendário romano, com as festividades do Natal do Sol Invicto, e de sua história ter se misturado com a de  São Nicolau de Mira, fato é que JESUS NASCEU. Neste ou naquele tempo,nesta ou naquela data.

Portanto, para os cristãos e para as pessoas de todo o mundo, raças, tribos e nações, o fato mais importante que envolve o Natal  deve ser o nascimento de Jesus e não a data em que Ele nasceu ou qualquer outro entretenimento pagão e histórico. É preciso atentarmos, que mais importante do que o natal é o Jesus do natal.
Há uma coisa,  definitivamente, que nunca, nunca mesmo , poderá mudar o verdadeiro sentido do natal, seja ele em dezembro, maio, abril ou outubro,  é o fato de que o Salvador do mundo nasceu!...se no natal, celebra-se mais o fato de ganhar e receber presentes ou se as pessoas tradicionalmente, esperam o papai Noel, que elas, sobretudo, possam se conscientizar que o presente mais importante do natal é TER Jesus e doá-lo por meio dos valores e práticas diárias. 

Com efeito, a mensagem mais forte do natal não deve ser a de que papai Noel, um velhinho de barbas brancas e longas com um saco cheio de presentes para entregar para crianças boazinhas exista ou não. Mas, sim a de que Jesus, o salvador do mundo, nasceu, humildemente, em uma manjedoura.

Entretanto,em todos os tempos, Ele deseja fazer de cada coração a sua manjedoura. Ele está à porta e bate. Ele quer entrar em sua casa e cear contigo. Não importa em que data, de janeiro a janeiro,  ele deseja nascer em seu coração. Esse é o maior presente de natal.
Glória a Deus nas alturas. Paz na terra para como os homens de boa Vontade.

 Agnus Dei.
 Marizan di Carvalho

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

497 anos de Reforma Protestante





"..como está escrito: mas o justo viverá da fé..." (Rm.1.17) 


Hoje, 31 de outubro, faz 497 anos da Reforma Protestante. 
Em 95 teses, Martinho Lutero, precursor da Reforma Protestante, fundamentou a doutrina da salvação pela fé, argumentando que, nem indulgências, nem sacrifícios poderiam sobrepor à Graça do Evangelho, justiça de Deus de fé em fé. 

Transcorridos quase meio milênio desde que o monge Alemão redescobriu a verdade, de parecer Paulino, sobre a salvação como processo contínuo da fé, é preciso atentar ao fato de que o meio pelo qual se toma posse da salvação e das bençãos dela advindas é a fé no Evangelho do Senhor Jesus (Rm.1.16). Lamentavelmente, o cenário cristão protestante não tem sido aquele sonhado por Lutero em seus ideais de lutas, pois, apesar de tudo, os amuletos e indulgências dos tempos modernos, insistem em permanecer. 

Assim, muitas práticas que foram alvos de protestos luterano, agora voltam pela porta da frente. Como reagiria o reformador protestante Martinho Lutero, se vivo, soubesse que a Igreja Luterana de hoje, coaduna, em tese, com as mesmas opiniões e até práticas vivenciadas pela Igreja Católica Romana, contra quem tanto combateu durante a reforma? 

Vamos analisar a questão de forma mais abrangente. O que dizer de algumas práticas cristãs duvidosas, que querem a qualquer custo, vender a benção? rosas, sal grosso, azeite de Israel, água (quase) benta,e tantos outros amuletos, fazem parte deste mercado. Há igrejas que até ensinam que quem dá a oferta maior, receberá uma benção maior. Ora, não era isto que condenava Lutero? Isto, também, não seria modernas práticas de indulgências? 


Diante disto, chego a uma conclusão: depois de quase 500 anos, o cristianismo protestante está precisando de uma nova reforma! Não precisamos de avivamento, precisamos de Reforma, cujo fundamento seja, de novo, o Evangelho: “... Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé..."

Finalmente, é preciso darmos ao cristianismo protestante um futuro seguro. Ser evangélico pode estar na moda, mas, o que manterá a chama do verdadeiro cristianismo acesa será as práticas cristãs fundamentadas no Senhor Jesus Cristo, na doutrina dos apóstolos e ratificadas na Reforma Protestante de ontem, hoje e sempre!  

Viva a Fé viva no Deus Vivo e isto basta!

Reforma já!

Marizan di Carvalho

sábado, 21 de junho de 2014

Seminário de Evangelismo e Missão





Na noite do dia 20 de junho, na última sexta- feira, estive ministrando a 2ª Edição do Seminário de Missão e Evangelismo com o tema: Evangelizar: Ordem de Deus, Missão da Igreja, Necessidade do Mundo.

Além de uma palestra com uso de recurso didático, como projeção em tela, foram disponibilizadas apostilas aos participantes.

O seminário aconteceu na Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Ministério Madureira, no Bairro Aureny III que dirige o Pr. Antônio Barros.

A partir de 1º de Julho, o referido seminário estará aberto à novas agendas. As igrejas interessadas poderão ligar para o seguinte telefone: (63) 8421- 5776

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A capacidade e o papel do jovem




"Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e já vencestes o maligno e a Palavra de Deus habita em vós." 1 Jo.2.14





A juventude é a maior força do mundo. Parte do que há no mundo gira em torno da força e dos ideais do jovem. Pensar um mundo sem jovens seria pensar um mundo sem sonhos, sem força e sem cor. Seria como imaginarmos um quadro antigo do mundo em preto e branco. Não teria graça e nem sentido. Não teríamos presente e nem futuro... só o passado numa tela quase escura...

No primeiro século de história do Cristianismo, o apóstolo João ao escrever aos jovens da Igreja que estava espalhada pelo mundo de então, reconhecia essa força e capacidade que o jovem tinha... “Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes...” Ele não só reconhecia essa força, mas, também, a atribuía ao fato de que a Palavra de Deus habitasse nesse jovem e que por causa disso, esse jovem era capaz de vencer até o maligno...


O apóstolo bem que sabia as lutas e desafios que o jovem já enfrentava naqueles tempos. De fato, não era nada fácil manter-se cristão num mundo que já buscava a valorização do Eu e que negava através de falsos ensinos a encarnação de Cristo. Mas, não obstante, João, o apóstolo mais velho do primeiro século da Igreja, reconhecia e respeitava a força, a capacidade e o papel que o jovem desempenhava na Igreja e na sociedade como um todo... “já vencestes o maligno e a Palavra de Deus habita em vós...”


Como está faltando em nossos dias pessoas que possam acreditar na força e na capacidade dos jovens; É com pesar que vejo os jovens desta geração sendo destruídos nas drogas...é com tristeza que pelas ruas das cidades e shoppings,muitas vezes, os confundo com objetos eletrônicos...ficam horas e horas grudados neles...é como se o sistema capitalista quiserem podar-lhe o direito de pensar pelo hipnotismo de consumirem mídia; Como é decepcionante vê-los inertes diante de um mundo que clama por dias melhores...não posso entender o porque de terem a sua capacidade subestimada e o seu papel ignorado até mesmo dentro das igrejas...

Se, de fato, o jovem é forte e já venceu o maligno pela Palavra de Deus que habita nele, como pode a Igreja consentir que esse mesmo jovem, deixe envelhecer os seus sonhos, perca a visão de futuro e frustrado desista de sua vocação?

Durante 25 anos na igreja já vi e experimentei muito desta realidade. O que tenho percebido é que o papel e a capacidade do jovem na igreja precisam ser repensados. É preciso que esse jovem seja mais valorizado e colocado em evidência em seu papel na igreja e na sociedade. É preciso estimulá-lo ao estudo e à preparação teológica. E, não só isso, é preciso aproveitá-lo mais no serviço da Igreja, ordená-lo ao santo ministério e confiar mais em sua capacidade e força.


Chega de acharmos que os jovens são sinônimos de fraqueza. Que eles não resistem à carne e que o diabo e as tentações só encontram e atacam eles.

Por outro lado, jovem, você precisa acordar. Acreditar em Deus, na Sua Palavra e na força que há em você, como consequência disto.

Levante-se, agora. A Palavra de Deus habita em você. E por isso você tem vencido o maligno. Você tem um papel importante nesta geração que só você poderá desempenhá-lo, jovem. Creia, uma história se escreve com sonhos e visão de quem acredita na força e na capacidade que vem de Deus para a realização de seu papel.

Não conheço parceria mais eficaz na realização dos nossos sonhos do que a fé em Deus, a força de vontade e o trabalho.

Marizan Di Carvalho

QUEM LEU?