quinta-feira, 6 de junho de 2013

A Seara é grande, mas, poucos os Ceifeiros







Hoje pensava sobre a Obra de Deus, essa Seara enorme. E, sobre o que significa ser ceifeiro.

Foi inevitável, não voltar ao tempo e  relembrar aquele 17 de dezembro de 1987, na cidade de Formoso do Araguaia-TO, quando com apenas 09 anos, aceitei a Jesus como meu único Salvador. Ficou em minha memória e em meu coração.Três anos mais tarde seria batizado nas águas, com apenas 12 anos, de livre e espontânea vontade. Saudades daquele dia que marcou minha vida. Parece que Deus  tinha reservado mesmo aquele ano para mim, pois, três meses depois receberia o batismo com o Espírito Santo. Uma comoção tomou conta de mim. Uma chama ardia em meu peito. E, durante dois dias só chorava e falava em outras línguas. Isso foi marcante!


Desde então não parei mais. Lembro-me que a minha primeira mensagem em um culto, foi baseada no Evangelho segundo João, capítulo 3 e versículo 3: " Aquele que não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus"; eu tinha 12 anos ainda...bons tempos aqueles!Todo mundo queria me levar para casa. Eu era muito admirado pelas irmãs do círculo de oração que pediam ao meu pai (minha mãe faleceu quando eu ainda tinha 03 anos) para me levarem para suas casas..e geralmente eu ia...e ali participava, além de momentos de descontração e lazer, de momentos de comunhão e adoração a Deus. Confesso que aprendi muito nesse tempo; maioria dos hinos da harpa Cristã eu aprendi nesse tempo.

E, sem perceber muito, naquele tempo, com o passar dos anos fui me dando conta que cada momento cooperava para o meu crescimento. Cada fase era um aprendizado novo. Tudo tinha sentido. Foi nesse tempo, também, que fiz parte,já em Miracema-TO, de 1989 a 1990, da Igreja Assembleia de Deus Madureira;Nessa época conhecí outros ceifeiros, também, dentre eles:   o irmão Raimundo (o Raimundão), O Presbítero Manoel,da irmã Vilani, o Pr. Gualberto e a irmã Irani, bem como boa parte de sua família; e, o Pr. Amarildo Martins,(hoje, presidente da CONEMAD-TO),a sua esposa  irmã Maria Barbosa e os meninos: André e Filipe. E, também a parati metálica...Naquele tempo costumávamos evangelizar nas tardes de domingo, dentro das balsas que fazia a travessia de Tocantínia a Miracema e nos bairros Flamboyant. 

E foi assim que essa  chama ardeu em mim  e se transformou nessa vocação divina, muitas vezes confirmada por profecias, revelações e até sonhos, que me acompanharam por toda  a minha infância, e adolescência; e quando nem me dei por conta, já era um jovem.


E, segui caminhando o caminho da fé. Agora, já tinha aprendido alguma coisa. Como já era membro e batizado nas águas e com o Espírito Santo, já era capaz de cooperar com a igreja, também; Fui  professor de criança, adolescentes e jovens; E isso ainda bem jovem, quando tinha por volta de 16 até 21 anos.


 E, foi no ano de 1991, que cheguei em Palmas-TO, pela primeira vez; quando encontrei a igrejinha de maderite e a Assembleia de Deus de Taquaralto, dirigida naquela época pelo Pr. Dinair. A Seara parecia bem maior do que era. Mas, descobrí que ela sempre será grande, para a quantidade de ceifeiros. A vontade de Deus sempre será maior do que a nossa. O serviço do Reino sempre demandará maior mão de obra do que os que se dispõe em fazê-lo. Jesus tem pressa pelo serviço. 

E, hoje, depois e quase 25 anos me peguei pensando nessas coisas. Revendo essas páginas e avaliando o que realmente valeu a pena.


A Seara, o serviço e a recompensa



Durante esses quase 25 anos que sirvo a Deus e que estou em sua Seara, foi recompensador cada serviço. Mesmo tendo chorado uma noite toda, pude ver a alegria pela manhã. Mesmo levando a preciosa semente andando e chorando, trouxe os feixes da alegria! Em nenhum momento quis voltar. É verdade que já me entristeci e até  senti-me sem ânimo. Mas, a alegria em servir ao Senhor da Seara sempre foi maior. A Ele sempre, o meu serviço!

E, depois disso tudo, vez em quando alguém me pergunta: "E aí, já é pastor? está dirigindo igreja? o que anda fazendo?" E eu vou respondendo: firme com JESUS. Crente até Jesus voltar. Fazendo a Vontade de Deus. "Lutando a Batalha da Fé." Sabe Por que? Porque de uma coisa tenho certeza: o Serviço é para Jesus. Títulos, Comendas, Ordenações ou Diplomas, não podem e nem devem substituir a gratificação e alegria de fazer unicamente a vontade de Deus. Porque o mais importante para Deus e para a Eternidade são a sinceridade e a devoção de um coração. O mais importante não é a posição eclesiástica que ocuparei ou não; O que realmente, importa, é que Deus se importa e Ele tem uma maneira só DEle de avaliar, receber e recompensar o nosso serviço, nesta e na outra vida.

Marizan Di Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUEM LEU?